O número de espetáculos tauromáquicos realizados no ano passado em Portugal foi o mais baixo desde o ano 2000, segundo dados da Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC), que registou em 2013 um total de 241 eventos.

De acordo com o Relatório da Atividade Taurina 2013, também o número de espetadores que assistem a espetáculos com touros foi o mais baixo em 14 anos, passando de 620 mil registados em 2000 para 441 mil no ano passado.

A redução mais significativa ocorreu entre 2011 e 2012, com uma diminuição de quase 130 mil espetadores, uma queda de 21%.

No entanto, segundo as conclusões do relatório disponível no site da IGAC, a crise parece não ter contribuído para uma diminuição relevante do número de espetáculos entre 2012 e 2013.

As corridas de touros continuam a ser o principal espetáculo realizado no país, representando mais de dois terços dos eventos taurinos realizados.

As novilhadas e as novilhadas populares têm expressão muito reduzida no conjunto dos espetáculos.

Já os festivais taurinos têm mantido ao longo dos anos números semelhantes.

Os espetáculos tauromáquicos têm sido contestados por associações de defesa dos animais, decorrendo atualmente na Internet uma petição contra a atribuição de subsídios estatais a esta atividade.