Cerca de 40% dos professores do 3º ciclo e secundário têm 50 ou mais anos, de acordo com um levantamento da Direção Geral de Estatísticas da Educação onde os docentes de Português aparecem como sendo os mais velhos.

Quase metade dos professores de Português (47%) tem pelo menos 50 anos, revela um documento da Direção Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) que traçou o perfil dos professores dos cinco grupos de recrutamento do 3º ciclo e do secundário com mais número de docentes - Português, Matemática, Física e Química, Biologia e Geologia e Educação Física.

No total, 39,5% de todos estes professores têm pelo menos 50 anos, sendo que os restantes 40,7% têm entre 40 e 49 anos.

Nas escolas, são quase raros (0,9%) os professores com menos de 30 anos, sendo que apenas 18,9% têm menos de 40 anos.

Os professores de Português são os mais velhos, com quase metade (47,1%) a ter pelo menos 50 anos de idade, seguindo-se os de Física e Química (35%) e os de Matemática (32,7%).

Os mais jovens são os docentes de Educação Física: a maioria (44%) tem entre 40 e 49 anos e 33,6% estão na faixa etária dos 30 anos. Com pelo menos 50 anos são 21,7%.

O documento analisou também o número de horas de aulas que os professores dão por semana e pode ver-se que a maioria tem horário reduzido.

Mais de metade (53,4%) dos docentes daquelas quatro disciplinas tem menos de 20 horas de aulas semanais: 39,9% trabalha na sala de aula entre 14 a 19 horas por semana e 13,3% dá no máximo 13 horas de aulas.

Outro dos pontos analisados no relatório da DGEEC diz respeito ao sexo dos docentes e concluiu que a grande maioria (71,6%) são mulheres, com exceção da disciplina de Educação Física, onde 58,2% são homens.

O documento analisou ainda as habilitações literárias dos docentes e concluiu que a grande maioria (83%) tem uma licenciatura ou uma formação equiparada e apenas 13% têm um doutoramento ou mestrado.

O relatório da DGEEC revela ainda que 82,1% destes professores pertencem aos quadros e apenas 17,9% são contratados.