Fonte da Câmara de Oliveira de Hospital avançou, esta quinta-feira, que duas pessoas feridas com gravidade nos incêndios de domingo morreram de madrugada nos Hospitais de Coimbra, o que elevava para 44 o número de mortes nestes fogos.

No entanto, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) negou que o número de mortos dos incêndios de domingo tenha aumentado para 44.

Vinte e uma mortes registaram-se no distrito de Coimbra, 11 das quais em Oliveira do Hospital, três em Tábua, três em Arganil, três em Penacova e um em Pampilhosa da Serra, sendo esta última vítima mortal a que estava desaparecida. Foi encontrada queimada em casa.

No distrito de Viseu, registaram-se 18 vítimas mortais, designadamente em Vouzela (oito), Santa Comba Dão (cinco), Nelas (uma), Carregal do Sal (uma), Tondela (duas) e Oliveira de Frades (uma).

Segundo a Proteção Civil, outras duas pessoas morreram na Guarda e uma na Sertã (distrito de Castelo Branco).

Outra das vítimas mortais morreu na terça-feira no Hospital de Coimbra, mas não foi divulgada a origem.