O Tribunal da Lourinhã vai iniciar a 26 de fevereiro o julgamento de um homem de 27 anos acusado de matar a mãe, com uma catana, e de lhe cortar os dedos para lhe tirar os anéis.

O arguido está acusado de homicídio qualificado, furto e detenção de arma proibida, crimes que foram mantidos na pronúncia, após conclusão da fase de instrução.

Na tarde do dia 27 de março deste ano, o homem entrou na casa dos pais, muniu-se de uma catana e, «por motivo não concretamente apurado, desferiu três golpes» na mãe, de 53 anos, descreve a acusação do Ministério Público, a que a Lusa teve acesso.

De seguida, o arguido apoderou-se da carteira, de um relógio e objetos em ouro da mãe, no valor de quase dois mil euros.

Além disso, retirou a chave do quarto, que a mãe tinha num bolsa da roupa que trazia vestida, e abandonou o local.

A mulher foi encontrada morta pelo marido no final desse dia dentro da própria casa, no Casal das Campainhas, Lourinhã.

Duas semanas depois do crime e do funeral da mãe, onde esteve presente, o arguido, sem profissão, veio a ser detido pela Polícia Judiciária, deixando chocada a população da aldeia pelos contornos do sucedido.

O pai e a única irmã pedem em tribunal uma indemnização de 350 mil euros, cada um.