O mágico do Porto Helder Guimarães vai ser o segundo português em 30 anos a participar, em março, numa conferência internacional TED, prometendo falar de coisas impossíveis e não utilizar «coelhos e cartolas».

Depois do neurocientista António Damásio, que participou na TED2011 em Long Beach (Califórnia, Estados Unidos), Helder Guimarães vai integrar, a 19 de março em Vancouver (Canadá), o painel de convidados desta conferência internacional, evento que durante as últimas três décadas ganhou notoriedade mundial sob o lema «Ideas Worth Spreading» («Ideias que merecem ser divulgadas»).

«Este convite surgiu na sequência do meu espetáculo "Nothing to Hide", que esteve em Nova Iorque durante os últimos quatro meses. O organizador do evento viu o espetáculo, ficou encantado com o mesmo e contactou-me para fazer parte da TED2014», contou, em declarações à agência Lusa, o mágico português.

O conceito das conferências TED nasceu quando, em 1984, o arquiteto e "designer" gráfico Richard Saul Wuman decidiu convidar personalidades distintas para abordar e divulgar ideias relacionadas com Tecnologia, Entretenimento e Design (TED).

O desafio proposto a Helder Guimarães foi o mesmo que foi apresentado aos intervenientes do universo TED ao longo dos anos: falar das suas ideias e experiências em pouco mais de 18 minutos.

O mágico português, de 31 anos, prefere não revelar pormenores sobre a apresentação, afirmando apenas que será «algo especial» e inédito.

«Mas posso garantir que algo que irá estar presente será a temática das impossibilidades», afirmou Helder Guimarães à Lusa, explicando que como mágico acredita que o mundo tem potencial de ser ainda mais interessante do que aquilo que é.

«Acredito que a imaginação não tem um papel tão fundamental como aquele que deveria de ter. Acredito que existem coisas impossíveis a acontecer a cada momento e, como sociedade, estamos demasiado distraídos para as apreciarmos verdadeiramente», frisou.

Helder Guimarães assume-se como um «fã» do conceito das conferências TED.

«Parece-me um formato ideal para espalhar ideias de mudança e para partilhar estas ideias com milhões de pessoas», referiu, admitindo que será uma oportunidade para transmitir a sua visão da magia.

«Acredito que como mágico existe uma responsabilidade acrescida de representar a minha atividade artística como acredito que ela deve ser vista por todo o mundo e, de alguma forma, mostrar que a magia pode ser muito mais interessante e sofisticada do que os velhos clichés com coelhos e cartolas», salientou Helder Guimarães.

Sobre o facto de ser um português na plataforma TED, o mágico sente entusiasmo e orgulho, mas também a responsabilidade.

«Acho que em épocas politicamente complexas como esta, é importante ter pessoas que mostram ao mundo que em Portugal existem ideias e artistas de valor, para enriquecer a imagem cultural de Portugal no exterior», destacou.

«Isto poderá abrir portas para outros portugueses se apresentarem internacionalmente em eventos do género, o que será uma mais-valia para o nosso país», concluiu.

Helder Guimarães, que deu o seu primeiro espetáculo de magia aos quatro anos na escola, tem conquistado ao longo dos últimos anos vários prémios internacionais. Em 2004 tornou-se no primeiro português a ganhar o «Ascanio Prize», prémio atribuído pela Sociedade Espanhola de Ilusionismo.

Campeão Mundial de Magia em 2006 e vencedor de dois galardões Parlour Magician of the Year, distinção atribuída pela Academy of Magical Arts em Hollywood (2012 e 2013), são outros títulos que constam no currículo do mágico, que atualmente reside em Los Angeles.

A TED2014, subordinada ao tema «Next Chapter» («Próximo capítulo»), está agendada para Vancouver entre 17 e 21 de março e vai reunir mais de 40 personalidades das mais diversas áreas. Entre os nomes confirmados estão o fundador da Microsoft Bill Gates e o músico e ativista britânico Sting.