O Tribunal de Guimarães condenou a seis anos de prisão uma mulher de 58 anos acusada de tentar matar o marido, de 85 anos, colocando raticida na sonda por onde o idoso se alimentava e tomava a medicação. Em nota publicada esta quarta-feira, na sua página da internet, a Procuradoria-Geral Distrital do Porto informa que a mulher foi condenada pelo crime de homicídio qualificado, na forma tentada.

Segundo a Procuradoria, os factos registaram-se entre 13 e 28 de novembro de 2013, numa altura em que o idoso estava internado na Unidade de Cuidados Continuados e de Manutenção, em Nespereira, Guimarães, com «sérias limitações» de movimentação e de capacidade de verbalização e de comunicação, dependendo em absoluto de terceiros para todos os cuidados.

A arguida, «aproveitando» essa circunstância, administrou ao marido, pelo menos em quatro ocasiões, porções de raticida e rodenticida, que esmagava e transformava em pasta, misturando-as com água. Para o efeito, utilizava a sonda nasogástrica que lhe fora colocada para ministrar medicação e alimentação.

O tribunal considerou provado que a arguida, «não querendo esperar que o marido morresse de forma natural, decidiu matá-lo», através da administração de doses controladas das referidas substâncias, «para que a morte fosse imputada à sua idade avançada e aos problemas de saúde e não ao envenenamento».

No entanto, a morte acabou por não acontecer, porque as funcionárias da unidade de saúde começaram a desconfiar das sucessivas alterações do estado clínico do idoso e participaram o caso à polícia.

A mulher seria detida em dezembro pela Polícia Judiciária, tendo ficado a aguardar julgamento em prisão preventiva.