Inspetores e técnicos da PJ estão, a partir de hoje e por tempo indeterminado, a de greve às prevenções. Este é o desenvolvimento de um protesto que começou já no dia 21, com o «não» às horas extraordinárias.

Por força destas duas paralisações, os investigadores trabalham apenas das 9 às 18 horas. Fora deste horário, só será acionado o serviço de piquete. Os meios serão insuficientes, o que poderá colocar em causa diversas operações e atrasar investigações.

Este protesto foi motivado pelos cortes no orçamento previsto para a PJ, pela falta de condições de trabalho e pela inexistência das progressões nas carreiras.

No caso das horas extraordinárias, inspetores e técnicos lutam pelo aumento da remuneração, que é paga a pouco mais de um euro por hora.

Ao final da tarde, vários inspetores concentraram-se à porta da diretoria do sul, em Faro, e também em Coimbra e no Porto, sendo que a adesão ronda os cem por cento.