A Câmara de Lisboa aumentou o número de contentores de obras para depósito do lixo, que passam agora a ser 52, para tentar minimizar o impacto da greve dos cantoneiros que termina no próximo domingo.

O site da autarquia está este domingo à tarde a ser atualizado com os novos locais onde os lisboetas podem colocar o lixo, que na sexta-feira eram 32.

Segundo informação enviada à Lusa pelo município, os novos contentores encontram-se em mais de uma dezena de ruas da cidade, desde a das Taipas à Pascoal de Melo, junto ao Jardim Constantino, mas também junto a igrejas (Igreja de Santa Isabel, por exemplo) e nas avenidas Ilha da Madeira, junto ao Estado-maior Forças Armadas, e Mouzinho de Albuquerque, junto ao n.º 2.

Foram também colocados contentores em quatro largos - do Terreirinho, Rodrigues de Freitas, Portas do Sol e Terreiro do Trigo, junto às escadinhas, e em duas praças: Professor Santos Andrea (junto ao vidrão) e da Alegria.

Os cantoneiros de Lisboa estão em greve desde terça-feira e até 05 de janeiro, em protesto contra a transferência de competências da câmara para as juntas de freguesia, nomeadamente a limpeza.

Na sexta-feira, o presidente da Câmara de Lisboa, António Costa (PS), admitiu que os problemas de higiene urbana decorrentes da greve na recolha do lixo só deverão estar resolvidos a partir do dia 10 de janeiro.

A Direção-geral da Saúde (DGS) recomenda que os lisboetas evitem depositar o lixo na rua durante a greve dos trabalhadores de limpeza da Câmara de Lisboa para prevenir situações de insalubridade e minimizar o impacto na saúde pública.