A estirpe da gripe deste inverno pode ser particularmente perigosa, segundo o alerta da Direção-Geral da Saúde. Graça Freitas apela à vacinação nomeadamente dos grupos de risco. Este ano pela primeira vez diabéticos e bombeirosnomeadamente  também recebem a vacina gratuitamente.

A DGS avisa que os casos podem ser mais graves e em maior número devido à estirpe da gripe deste inverno que é particularmente perigosa.

"Quando o vírus dominante é um vírus H3, a intensidade da gripe tende a ser maior e até a gravidade da doença", disse Graça Freitas

Mais de um milhão de vacinas contra a gripe foram administradas pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS) desde outubro, o que representa mais 19 por cento face ao mesmo período do ano passado.

Estes dados foram avançados pela Direção-geral da Saúde esta terça-feira, dia em que a autoridade de saúde apresentou o plano de contingência sazonal para o inverno.

O Estado comprou para a época gripal atual 1,4 milhões de vacinas, que este ano passaram a ser também gratuitas para as pessoas com diabetes e para os bombeiros que tenham recomendação para a vacina, a juntar aos grupos que já as recebiam gratuitamente nos centros de saúde, como os idosos.

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, indicou que já foram administradas 1,1 milhões de vacinas da gripe no SNS, havendo ainda 300 mil doses disponíveis.

Além destas disponibilizadas pelo SNS, as farmácias dispõem de 600 mil doses de vacinas para venda.

A Direção-geral da Saúde avisa ainda que a vacina da gripe não provoca a doença, tentando desmistificar a ideia de que as pessoas adoecem quando são imunizadas.

“A vacina é feita de vírus inativados e não tem potencial de infetar”, afirmou a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, considerando “um mito” que se contraia gripe por levar a vacina.

De acordo com a responsável, durante o período em que é administrada a vacina da gripe há vários vírus em circulação, nomeadamente respiratórios, e pode ocorrer a coincidência de contraírem uma constipação ou outra infeção respiratória depois de se vacinarem contra a gripe.

Outras pessoas podem ainda ser vacinadas numa altura em que está já a gripe em período de incubação.

“A vacina é extremamente segura e é feita com vírus inativados”, insistiu Graça Freitas durante a sessão de apresentação

Como todos os anos, a DGS apela à vacinação contra a gripe sobretudo aos grupos prioritários, como idosos ou doentes crónicos.

Graça Freitas lembrou hoje que se morre mais durante o inverno, devido às baixas temperaturas, à gripe e a outros vírus em circulação.

É também nesta altura que há mais pressão nos serviços de saúde, com a DGS a apelar a que as pessoas optem por procurar mais os centros de saúde do que as urgências hospitalares.

Na época da gripe, entre 16 a 17% das pessoas que vão a uma urgência podem necessitar de um internamento, contra menos de 10% nas outras épocas.

A diretora-geral da Saúde indicou que os planos para a época gripal são feitos a nível regional e que cada instituição avalia as suas necessidades, mas recordou a possibilidade de gerir melhor as altas sociais, libertando camas para quem mais precisa.