Os portugueses recorreram mais à Linha SOS Ambiente e fizeram quase seis mil chamadas em 2013, das quais 2.600 denúncias, principalmente relacionadas com bem estar animal e resíduos, segundo informação da GNR, responsável por este instrumento.

Em resposta escrita a perguntas da agência Lusa, a Guarda Nacional Republicana (GNR) referiu que, no ano passado, a Linha SOS Ambiente recebeu mais 720 telefonemas do que em 2012, atingindo 5.901 contactos. As denúncias também registaram um aumento (mais 154), chegando às 2.599 chamadas.

Todos os casos de denúncia foram investigados e resultaram na elaboração de 1.741 autos de notícia por contraordenação, o que representa uma subida relativamente aos 1.649 de 2012, avançou a GNR.

Os restantes telefonemas referem-se a pedidos de informação ou de esclarecimento acerca das áreas ambientais, de defesa e conservação da natureza, abrangidas pelos serviços da GNR.

As situações relatadas ou denunciadas pelos portugueses apresentaram algumas alterações relativamente a 2012 e, no ano passado, as preocupações com o bem estar animal comandaram a lista dos telefonemas para a Linha SOS Ambiente, com mais 322, passando para 1.310 chamadas.

Os resíduos ocupam o segundo lugar da lista de assuntos mais referidos nos contactos com o serviço de atendimento telefónico da GNR, com 970 chamadas, seguindo-se o domínio hídrico, com 401, e os incêndios florestais, com 197 contactos.

A poluição atmosférica também está entre os assuntos com maior crescimento das denúncias (mais 136 telefonemas), tal como o domínio hídrico (mais 83), a proteção florestal (mais 82) e a convenção CITES, um acordo internacional sobre comércio internacional de espécies de fauna e flora selvagem ameaçadas de extinção (mais 81).

Ao contrário, diminuíram as denúncias relacionadas com caça (menos 124), resíduos (87), turismo e desportos (41) e ordenamento do território (40).

Lisboa foi a região do país com mais contactos para este serviço de atendimento telefónico, com 1.085 chamadas, seguida de Setúbal, Porto e Aveiro.

«Depois de, em 2013, se ter conseguido reforçar o capital humano, por forma a dar resposta a todas as solicitações recebidas dos cidadãos, em 2014, a GNR pretende continuar a divulgar a existência desta ferramenta», apontou a fonte da força de segurança.

E realçou que «todos podem contribuir para denunciar agressões ao ambiente e garantir que todas as participações serão objeto de resposta com os resultados das investigações efetuadas».

Através da Linha SOS Ambiente 808 200 520, que está disponível 24 horas por dia durante todo o ano, é possível expor situações que possam violar a legislação ambiental e os instrumentos de ordenamento do território.