A Guarda Nacional Republicana fiscalizou perto de 29.000 condutores na última semana no âmbito de uma operação direcionada para o uso do cinto de segurança, tendo detetado 770 infrações

Na operação “Tispol - Seatbelt Operation”, vocacionada para o uso de cintos de segurança e/ou sistema de retenção para crianças (cadeirinhas), Porto foi o distrito onde se verificou o maior número de infrações com cintos de segurança (83). No que respeita às a cadeirinhas para transportar as crianças foram detetadas oito infrações.

Seguiu-se o distrito de Leiria, com 83 infrações com cintos de segurança e quatro com sistemas de retenção para crianças.

Em Lisboa verificaram-se 53 infrações com cintos de segurança e seis com sistemas de retenção para crianças, em Aveiro registaram-se 75 infrações relacionadas com cintos de segurança e seis com sistemas de retenção para crianças, em Braga 72 com cintos e 18 com cadeirinhas para transportar crianças.

Évora foi o distrito que registou menor número de infrações: 13 com cintos de segurança.

A incorreta ou não utilização do cinto de segurança e/ou de cadeirinhas para crianças constitui uma das três principais causas de sinistralidade grave nas nossas estradas, a par com o excesso de velocidade e a condução sob a influência do álcool, refere a GNR à Lusa.

Esta operação foi realizada em todos os países da Europa e enquadra-se no plano definido pela European Traffic Police Network (TISPOL ), organismo que congrega todas as polícias de trânsito da Europa. A GNR é a representante de Portugal.