Geração à rasca: protesto chegou ao Funchal

Menos pessoas do que se estava à espera

Por: Redação / FC    |   12 de Março de 2011 às 17:14
A Praça do Município do Funchal esteve muito longe de ficar cheia de pessoas pois muitos dos que haviam assumido o compromisso no Facebook acabaram por não compareceram na manifestação «Geração à rasca».

Pelas 15:00, a hora marcada para a concentração a praça da capital madeirense estava praticamente vazia, as expectativas eram de reunir cerca de 2.500 pessoas mas os presentes davam apenas para encher metade da praça, informa a agência Lusa.

Aos poucos, de diversos pontos, foram surgindo apoiantes, algumas caras conhecidas de partidos políticos e estruturas sindicais que fizeram questão de garantir que ali estavam apenas como cidadãos e muitos anónimos que juntaram por uma causa e na sequência do apelo lançado nas redes sociais para de forma pacifica protestar pela precariedade e a incerteza do futuro do país.

Apenas quatro polícias «passeavam» naquele quarteirão e um carro cheio de agentes da PSP estava estacionado numa das artérias com os policiais da Brigada de Intervenção Rápida (BIR), descontraídos, pois não foi necessário intervirem para garantir a ordem pública.

Cerca das 16:00 ao som da gaita de foles, os manifestantes começaram a abandonar a praça e percorreram algumas das ruas do Funchal até chegarem à Quinta Vigia.
PUB
EM BAIXO: Manifestação Geração à Rasca
Manifestação Geração à Rasca

COMENTÁRIOS

PUB
Clássico termina sem golos

Benfica e FC Porto terminou num nulo: um daqueles nulos que não deixam nada na mesma. Resultado mantém os encarnados com três pontos de vantagem sobre os dragões na liderança da Liga, também em vantagem no confronto direto. No Benfica, Salvio chegou a integrar a lista de convocados mas não foi opção, enquanto no FC Porto Lopetegui procedeu a várias alterações no onze