O fogo no concelho do Funchal, Madeira, está a descer a encosta da Barreira, em direção à zona da Estrela, dirigindo-se para uma região perto de casas, disse à Lusa o vice-presidente do Serviço Regional de Proteção Civil.

O fogo incide sobre uma área de floresta e de mato, mas «nas imediações existem casas», avançou Pedro Barbosa.

Segundo o responsável, as preocupações centram-se agora na Estrela, depois de o fogo florestal na Barreira, zona alta de Santo António, no concelho do Funchal, ter sido considerado «controlado mas não extinto».

«Depois de durante a noite ter ameaçado ¿ mas, felizmente, não ter atingido casas -, o fogo está a descer em direção à Estrela, onde estamos a concentrar os meios para proceder o seu combate», disse o vice-presidente do Serviço Regional de Proteção Civil.

No local encontram-se 50 homens e 10 viaturas dos Bombeiros Municipais do Funchal, dos Bombeiros Voluntários Madeirenses, dos Municipais de Santa Cruz e dos Voluntários de Câmara de Lobos.

As zonas altas da cidade do Funchal têm sido fustigadas por incêndios desde as 02:30 de sexta-feira, tendo já destruído 11 habitações e deixado pelo menos 17 pessoas desalojadas.

Noite de medo

O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Albuquerque, já tinha afirmado à Lusa que o fogo florestal no sítio da Barreira, nas zonas altas de Santo António, «estava sob controlo» depois de o vento o ter reacendido no final da noite.

De acordo com Miguel Albuquerque, que esteve no local, o fogo chegou a ameaçar quatro residências no final das zonas altas deste sítio mas «conseguimos proteger as habitações».

«Deu-se, de facto, um reacendimento na zona da Barreira, já estava sob vigilância, reforçamos os meios e isolamos as casas», explicou, reconhecendo, no entanto, «alguns anexos arderam».

«Neste momento temos a situação sob controlo mas temos que estar muito atentos a este vento», reconheceu.

Atualizado às 10:03