O Tribunal de Execução de Penas (TEP) recusou o pedido de liberdade condicional de Mário Machado, antigo dirigente da Frente Nacional, disse esta sexta-feira fonte judicial à agência Lusa.

O pedido foi analisado pelo 4.º juízo do Tribunal de Execução de Penas e o despacho data de terça-feira, acrescentou a mesma fonte.

Na última sexta-feira, o juiz do TEP foi ouvir Mário Machado à cadeia de Alcoentre para saber quais os seus planos de reintegração, mas a decisão final foi de lhe negar a liberdade.

O antigo dirigente da Frente Nacional e líder dos Hammerskins, movimento conotado com a extrema-direita, está detido há cinco anos e meio por vários crimes, entre os quais roubo, sequestro, ofensas à integridade física e posse ilegal de armas.

A 17 de setembro foi transferido da prisão de alta segurança de Monsanto para o estabelecimento prisional de Alcoentre.

Mário Machado já cumpriu mais de metade da pena de 10 anos a que foi condenado, três dos quais em regime de alta segurança.

A 19 de dezembro de 2012, o Tribunal Criminal de Loures fixou em 10 anos o cúmulo jurídico das penas de prisão aplicadas a Mário Machado.

O cúmulo jurídico foi fixado com base numa soma parcelar de 19 anos e meio, pelas condenações em quatro processos, o último dos quais julgado pelo Tribunal Criminal de Loures, em 2010.