A criança portuguesa que morreu sábado em França em circunstâncias ainda sob investigação foi resgatada de uma instituição de adoção em Portugal meses antes pelo tio, que a levou para Toulouse (sul de França), disse fonte oficial, esta quarta-feira.

Fonte da secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas declarou à agência Lusa que o tio é o homem do casal português, cujas identidades não foram reveladas, que cuidava de Leonardo e também irmão da mãe biológica, que o deixara para adoção em Portugal.

Segundo a fonte, a criança fora dada pela mãe para adoção e estava numa instituição quando o tio a foi buscar, levando-a para França, onde se juntou à companheira em Hers, próximo de Toulouse.

O homem, acrescentou a fonte, disse às autoridades policiais francesas que a criança teve uma "morte natural", mas as respetivas causas só serão definitivamente apuradas depois da autópsia, que deverá ser realizada em breve.

O casal português foi acusado terça-feira de homicídio de Leonardo, bebé de dois anos, em Toulouse. Depois de um pedido de socorro feito pela mulher agora detida, o menino, de nome Leonardo, chegou ao hospital em paragem cardiorrespiratória e não foi possível reanimá-lo. A criança tinha hematomas no corpo e na cabeça e um grave traumatismo craniano.