Um homem detido em flagrante delito após assaltar uma residência na Lousã e que se encontrava alegadamente foragido de uma prisão francesa foi libertado este sábado pelo tribunal, dado não existir mandado de captura, disse fonte da GNR.

«França não tem um mandado de captura ativo. Foi libertado e terá de se apresentar em tribunal para ser sujeito a julgamento dia 9 [quarta-feira]», disse à agência Lusa fonte do Destacamento Territorial da Lousã da GNR.

A mesma fonte adiantou que a informação de que o homem, de 46 anos, se tinha evadido, há cerca de três anos, de um estabelecimento prisional em Bordéus, foi prestada à GNR pela Interpol, mas não existe qualquer mandado de detenção europeu.

O homem, que alegadamente reside na Lousã, esteve a ser ouvido no tribunal de turno, em Coimbra e foi libertado sem que lhe tivessem sido aplicadas medidas de coação, adiantou.

O suspeito foi surpreendido por militares do Posto Territorial da Lousã da GNR, na tarde de sexta-feira, a abandonar uma residência, na posse de várias peças de ourivesaria, um guarda-joias e uma máquina fotográfica.

Perseguido por terrenos agrícolas anexos à moradia, acabou detido, tendo os objetos furtados sido recuperados e entregues à proprietária.

De acordo com informação prestada pela GNR, o homem entrou na residência com o auxílio de um pé de cabra, através do arrombamento da janela de um dos quartos.