O fotógrafo Fernando Guerra venceu o Prémio do Público da plataforma norte-americana 'online' Architizer A+, especializada em arquitetura, com as imagens da sede do Parque Natural da Ilha do Fogo, em Cabo Verde, foi divulgado pela plataforma.

O projeto, concebido pelo ateliê português OTO, dos arquitetos André Castro Santos, Nuno Teixeira Martins e Pedro Teixeira, foi inaugurado em março de 2014, mas destruído poucos meses depois, em novembro desse ano, pela erupção vulcânica daquela ilha do arquipélago.

É ótimo ganhar qualquer prémio, mas vencer numa categoria de fotografia de arquitetura, e por votação do público, é ainda melhor. O edifício único, dos arquitetos OTO, construído numa das ilhas mais doces que conheço, já não existe, infelizmente, e estas imagens são tudo o que resta. Este prémio é um tributo especial aos esforços de tantos" envolvidos no projeto, escreveu hoje Fernando Guerra, na sua página oficial no Facebook, reagindo à vitória.

Fernando Guerra, arquiteto, é fotógrafo de arquitetura, trabalha regularmente com o seu irmão, Sérgio Guerra, que o acompanhou no projeto da Ilha do Fogo.

A dupla Fernando e Sérgio Guerra (FG+SG) trabalha com diversos arquitetos portugueses como Álvaro Siza Vieira, Manuel Mateus, Manuel Graça Dias, Gonçalo Byrne e João Luís Carrilho da Graça, assim como, com arquitetos internacionais como Márcio Kogan, Isay Weifeld, Arthur Casas, Pei Cobb Freed. Era também um colaborador regular da arquiteta de origem iraquiana Zaha Hadid, que morreu no passado dia 31.

No ano passado, Fernando Guerra foi o vencedor da edição do prémio de fotografia Arcaid Images, com imagens de diferentes projetos, duas das quais do edifício na Ilha do Fogo em Cabo Verde.

Fernando Guerra, que iniciou a carreira em Macau, como arquiteto, venceu igualmente o Grande Prémio de Fotografia da Plataforma Arquitetura Archdaily 2015, com o trabalho sobre a Faculdade de Economia da Universidade Diogo Portales de Santiago do Chile.

A sede do Parque Natural da Ilha do Fogo, no ano passado, foi também um dos vencedores do Prémio Internacional Archdaily Building of the Year (Edifício do Ano ArchDaily), na categoria de arquitetura cultural.

Na plataforma Architizer, o projeto do Parque Natural da Ilha do Fogo estava nomeado na categoria de Arquitetura/Fotografia e Vídeo.

Outro finalista português nesta votação do público para o Architizer A+ era o edifício De Lemos, em Passos de Silgueiros, Viseu, criado pelo ateliê português Carvalho Araújo, na categoria dedicada materiais de construção (Arquitetura/Concrete/Betão), tendo vencido um projeto do arquiteto turco Erdil Insaat, construído em Çesme, na Turquia.

A votação do público para a plataforma Architizer A+ repartiu-se por mais de cem categorias e terminou no passado dia 05. Os vencedores, decididos numa combinação de votos do público e do júri, foram divulgados na noite de terça-feira, nos Estados Unidos.

O arquiteto português Pedro Gadanho, diretor do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia da EDP, a inaugurar este ano, que foi responsável pelo departamento de arquitetura do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA), fez parte do júri, composto por mais de duas centenas de profissionais.