Os europeus estão de olho nos Açores, que podem tornar-se no próximo grande destino de férias na Europa. A culpa é, diz a BBC, das companhias aéreas Ryanair e Easyjet, que começaram a voar para Ponta Delgada, via Lisboa, a baixo custo.

Depois do Algarve, hordas de ingleses poderão invadir a Região Autónoma, famosa pela beleza natural e aquém do rebuliço dos habituais destinos de férias.

O escritor de viagens Simon Calder, em trabalho para a BBC, viajou até aos Açores numa low-cost, num voo que estava a um sexto da sua capacidade. Agora foi assim, mas depois da publicidade pode mudar.

Para os açorianos entrevistados, as férias dos europeus que poderiam ocorrer, na melhor das hipóteses, uma vez por ano ou de dois em dois anos ficaram à possibilidade de um fim de semana. E é por isso que há já quem ande a investir em estruturas e atividades atrativas, que sejam sinónimo de lucro e emprego. Outros acreditam que os Açores, como sempre os conhecemos, vão deixar de existir.
 
O escritor encontrou uma luxemburguesa que emigrou para Santa Maria, também conhecida como o Algarve dos Açores, há quatro anos para escapar às multidões.

“Vai ser bom para os turistas, mas não para nós”, antecipou, prevendo que a única praia de areia branca do arquipélago, a Formosa, perca a sua pureza com a chegada do turismo de massas.

O que vai acontecer fica para um próximo capítulo.