É definitivamente oficial: o Presidente da República anunciou que vai promulgar o diploma que prevê a reposição dos quatro feriados retirados em 2012, com efeitos ainda este ano. Como o primeiro é só em maio, a promulgação ainda veio a tempo de dar mais quatro dias “em casa” aos portugueses.

Como fica então o calendário de 2016? Se não se recorda, os feriados retirados foram os religiosos do dia do Corpo de Deus (feriado móvel, que este ano calha a 26 de maio) e de Todos os Santos (1 de novembro), e os civis do dia da Implantação da República (5 de outubro) e da Restauração da Independência (1 de dezembro).

Três dos feriados “retornados” calham a uma terça ou quinta-feira, pelo que abrem a possibilidade de ponte para alguns portugueses. Apenas o 5 de outubro calha mesmo a meio da semana de trabalho, à quarta-feira. Estes somam-se já aos quatro feriados colados ao fim de semana e a uma outra ponte em dezembro.

Pode já anotar: 25 de março, 25 de abril, 10 de junho e 15 de agosto são feriados a uma segunda ou a uma sexta-feira. Há quatro pontes possíveis: o 1 de novembro é a uma terça-feira, e o 26 de maio, 1 de dezembro e 8 de dezembro são quintas.

A Sexta-feira Santa da Páscoa é sinónimo, como o nome indica, de feriado. Será a 25 de março e o domingo de Páscoa é dois dias depois.

Abril é motivo para sorrir, não só pela comemoração do Dia da Liberdade, mas porque o  25 de Abril calha precisamente a uma segunda-feira. Já o 1 de maio, Dia do Trabalhador, será a um domingo.

Ainda em maio temos o regresso do feriado móvel do Dia do Corpo de Deus, 26 de maio, uma quinta-feira.

O Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas –  10 de junho -, também será celebrado a uma sexta-feira. Para quem mora em Lisboa, logo na segunda-feira é o feriado da cidade, Dia de Santo António: quatro dias de descanso seguidos. No Porto, o S. João, a 24 do mesmo mês, também é uma sexta-feira. Tudo quase em sintonia.

Para quem não é da capital ou da Invicta, terá de esperar até  15 de agosto por novo fim-de-semana prolongado. Este feriado calha a uma segunda-feira.

A 5 de outubro (quinta-feira) há nova pausa, o dia da Implantação da República, e nem um mês depois o dia de Todos os Santos (1 de novembro).

O último mês do ano abre com novo feriado, o 1 de dezembro, dia da Restauração da Independência, e a dia 8 há o religioso Imaculada Conceição, uma quinta-feira.

A fechar, como sempre, o Dia de Natal, que neste 2016 será a um domingo.