A dirigente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM) Pilar Vicente morreu esta sexta-feira, em Lisboa, confirmou à Lusa fonte desta organização sindical.

Pilar Vicente, médica no Hospital São José, em Lisboa, e membro da comissão executiva da FNAM era ainda vice-presidente do Sindicato dos Médicos da Zona Sul.

Mário Jorge Neves, dirigente da FNAM, destacou o «traço da personalidade» de Pilar Vicente que era reconhecido pelos colegas: «Espírito indomável e inconformismo permanente».

Enquanto estudante e ativista do movimento estudantil, Pilar Vicente chegou a ser presa pela PIDE, com cerca de 20 anos.

Segundo Mário Jorge Neves, desde muito cedo que Pilar Vicente se envolveu na intervenção cívica e na luta pela democracia e direitos sociais.

«Manteve este percurso ao longo da sua vida. Era uma pessoa que estava sempre disposta a colocar-se na primeira linha na defesa de determinados princípios, adiantou.


Também o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) destaca o papel de Pilar Vicente no sindicalismo médico, destacando a sua «perseverança, honestidade e coragem».