A fase “Delta” de combate a incêndios florestais termina hoje, pelo que os meios operacionais vão ser reduzidos a partir de domingo, sendo apenas reforçados em caso de necessidade.

Durante a fase “Delta” de combate a incêndios florestais, período com risco moderado que decorreu desde 01 de outubro, estiveram no terreno 5.517 elementos, 1.268 veículos e 24 meios aéreos.

No domingo entra em vigor a fase “Echo”, que se prolonga até 31 de dezembro, e no terreno vão estar “as forças de empenhamento permanente e dois helicópteros permanentes”, segundo a Diretiva Operacional Nacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Os agentes no terreno para os próximos dois meses são os meios disponíveis nos corpos dos bombeiros, além dos elementos do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS) da GNR e da Força Especial de Bombeiros Canarinhos.

A diretiva estabelece ainda que os meios aéreos podem ser reforçados até um máximo de cinco e as forças terrestres até ao máximo indicado para a fase “Delta”, sendo a mobilização dos meios determinada pela “avaliação do perigo e do risco”.

Durante a fase “Delta” deflagraram mais de 900 incêndios florestais, que mobilizaram cerca de 12.000 recursos humanos, 4.000 meios terrestres e 90 meios aéreos, de acordo com a ANPC.

Num ano em que a severidade meteorológica foi a terceira mais severa dos últimos 16 anos, a ANPC registou, entre 01 de janeiro até 30 de setembro, 15.505 ocorrências de fogo, que causaram 60.916 hectares de área ardida.