Para Hugo Oliveira, os primeiros passos estão a ser dados com este pacote de medidas, mas também é fundamental a criação de emprego.

«O emprego é um dos maiores incentivos à natalidade», porque permite que «as famílias olhem de forma diferente para aquilo que é a constituição da família e a possibilidade de terem mais filhos».

«Não podemos olhar para as famílias numerosas como minorias, temos de pensar é que podem vir a ser mais no futuro» e criar condições para que isso possa acontecer, defendeu.


«Esse é o incentivo, não é o suficiente, ainda deve ir mais além. No entanto, este pacote legislativo é favorável a que possa haver um incremento à natalidade no nosso país.»