A administração do centro hospitalar de Vila Real reconheceu hoje existir “efetivamente alguma carência” de médicos e referiu que o cancelamento de algumas cirurgias se deve, sobretudo, à dificuldade em contratar anestesistas.

O alerta para a falta de recursos humanos no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) foi lançado esta terça-feira pelo Conselho Regional do Norte da Ordem dos Médicos (CRNOM) e do Sindicato Independente dos Médicos – Norte.

Depois de uma visita ao hospital de Vila Real, a Ordem e o Sindicato falaram numa “situação insustentável”, destacando como área “mais crítica” o serviço de anestesia, para onde é preciso um reforço “imediato de pelo menos 14 anestesistas”.

O presidente do CRNOM, Miguel Guimarães, referiu que, em média, nos últimos quatro meses, foram “adiadas mais de 30% das cirurgias”, ficando estas praticamente reduzidas às oncologias.

Este responsável disse ainda que “uma percentagem já significativa” do serviço da área de anestesiologia, nomeadamente no serviço de urgência e em alguns tempos operatórios, está a ser “assegurada por médicos tarefeiros” e frisou que a falta de especialistas nesta área poderá “ter também consequências dramáticas na formação médica especializada”.

Após a conferência de imprensa, o conselho de administração do CHTMAD não se quis pronunciar sobre estas questões, optando por emitir um comunicado ao final da tarde.

Nesse documento, referiu que existe efetivamente no CHTMAD, "alguma carência a nível de recursos humanos em diferentes especialidades nomeadamente, anestesiologia, urologia e ortopedia".

Tem sido, no entanto, realizado um esforço adicional conducente à contratação de profissionais de saúde por parte do conselho de administração do CHTMAD, com a respetiva anuência da tutela”, afirmou.

A adminitração explicou ainda que “o cancelamento de algumas cirurgias deve-se, sobretudo, à dificuldade em contratar médicos anestesistas, realidade que em período homólogo de anos anteriores, já se tinha verificado”.

Efetivamente a dificuldade de atração de profissionais para a região (médicos especialistas) é uma realidade, devendo-se salientar o esforço efetuado por todos os profissionais do CHTMAD que salvaguardam a contínua prestação de cuidados de saúde de qualidade”, acrescentou.

O conselho de administração garantiu que “todos os esforços têm vindo a ser feitos no sentido de se conseguir inverter estas situações” e deu como exemplo a abertura de concurso para 37 vagas em diferentes especialidades, recentemente publicado.

O CHTMAD junta os hospitais de Vila Real, Lamego e Chaves.