Mais de 100 presos fugiram, durante saídas precárias, entre 2012 e Junho de 2013, escreve o Diário de Notícias, esta quinta-feira. Os dados foram avançados pela Direção-geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) ao jornal.

No ano de 2012 foram autorizadas 10 162 saídas precárias e apenas 65 detidos não cumpriram o regresso à cadeia. Já entre janeiro e junho de 2013 foram dadas 4 694 saídas. 44 reclusos não voltaram.

Se juntarmos o caso de Américo Piçarreira, o triplo homicida, cuja evasão aconteceu agora em Julho, temos ao todo registo 110 evasões. No entanto, apenas 19 continuam em fuga.

Mas em 2012, 23 reclusos conseguiram fugir de estabelecimentos prisionais. Faltam recapturar quatro reclusos. Este ano também já se registaram quatro fugas, mas todos os evadidos foram, de novo, presos.

O caso do triplo homicida que voltou a fugir da cadeia

Américo Piçarreira, de 41 anos, não regressou ao Estabelecimento Prisional de Vale de Judeus, no passado dia 26 de Julho, após uma saída precária. Esta é a terceira vez que este recluso foge à justiça.

Na sua primeira fuga, em 1994, Piçarreira matou a tiro três pessoas durante um assalto. Em 2005 voltou a fugir. Fez mais assaltos e atacou um homem, que o tentava deter, à facada.

Desta vez, está montada uma «caça ao homem» pela Polícia Judiciária para evitar novas tragédias. Américo Piçarreira já terá sido visto em Vila de Rei, escreve o «Correio da Manhã» e está a ser procurado em cafés do concelho e de Abrantes, onde foi recapturado nas outras duas vezes.

As autoridades consideram Américo Piçarreira altamente perigoso. Não só por andar armado, mas também por ter uma personalidade instável e reagir de forma agressiva quando está encurralado.