O número de pedidos de asilo às autoridades portuguesas subiu 138% entre 2014 e 2015, segundo os últimos dados do gabinete oficial de estatísticas da União Europeia, Eurostat.

Os dados de 9 de novembro registaram desde janeiro até setembro deste ano 500 pedidos, sendo a maioria da Ucrânia (63%), seguindo-se o Mali (10%) e a China (07%).

A lista de pedidos feitos aos diversos países da União Europeia é liderada pela Alemanha (288.740, numa subida de 110%), com a Hungria a surgir em segundo lugar (145.165 e uma subida de 1.470%) e a Suécia em terceiro, com 72.985 pedidos e uma subida de 21%.

Os totais da União Europeia indicaram 807.300 pedidos até setembro, mais 74% do que em 2014, com destaque para a Síria (24%), Afeganistão (11%) e Kosovo (8%).

Os 28 estados-membros da União Europeia vão começar nesta quarta-feira o primeiro de dois dias de reunião em Malta, com países africanos sobre refugiados e migrantes.

Deste encontro aguarda-se uma declaração política e um plano de ação, que o Conselho Europeu espera que tenha uma “abordagem prática”.

Prevista está a oficialização de um fundo de emergência de apoio a África de 1,8 mil milhões de euros.