O Euromilhões celebra, esta sexta-feira, o quinto aniversário internacional com um jackpot de 100 milhões de euros, na semana em que entram em vigor novas regras, que estabelecem em 185 milhões o limite máximo acumulável.

Actualmente atribui-se obrigatoriamente o prémio principal depois de 11 concursos consecutivos sem vencedor. Esse prémio é distribuído por quem acertou no segundo prémio ou seguintes quando não há totalista na chave vencedora.

Esta regra não permite, porém, «limitar o valor do prémio ao que se considera ser socialmente aceitável para um prémio de jogo», segundo o Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O novo tecto faz desaparecer a obrigatoriedade da atribuição dos jackpots no concurso em que o limite é atingido.

Quando sobrar dinheiro, esse remanescente será acrescido ao valor do segundo prémio ou, caso este não seja atribuído, ao prémio imediatamente inferior em que haja, pelo menos, uma aposta premiada nos respectivos concursos.

As novas regras constam do Regulamento do Euromilhões publicado em Diário da República a 28 de Janeiro.