A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) anunciou a apreensão, em Guimarães, de mais de 1,7 milhões de etiquetas de diversas marcas que seriam depois apostas em peças contrafeitas de vestuário e calçado.

Em comunicado, a ASAE acrescenta que o valor total da mercadoria apreendida é de cerca de meio milhão de euros.

Foram ainda apreendidos 1500 em numerário, sem qualquer registo contabilístico.

A ação foi desenvolvida na quinta-feira, através da Unidade Nacional de Informações e Investigação Criminal, no âmbito da operação «Etiquetas», relativa a investigações dirigidas ao circuito de produção de material contrafeito.

Aquela unidade procedeu à execução de um mandado de busca domiciliário e inspecionou três unidades industriais de impressão, tipografia e tecelagem.

«As unidades fabris, sem qualquer licenciamento industrial, estavam em plena atividade e laboravam de forma concertada na produção de etiquetas de cartão, de cetim e em tecido», acrescenta o comunicado.

Uma das empresas já tinha sido objeto de ação inspetiva há cerca de um mês, onde também foram apreendidas cerca de 150 mil etiquetas, no valor de 3000 euros.

«A maior parte da mercadoria foi apreendida na garagem da residência de um funcionário da empresa que colaborava na ocultação da mercadoria contrafeita, que depois seria expedida para os fabricantes de material contrafeito», remata o comunicado.