Em declarações à Lusa, a investigadora Ana Fernandes Martins revelou ainda que “mais de metade da amostra disse ter sido vítima de algum tipo de violência no ano anterior, tanto intimidação como violência física e verbal”.


37,2% admitiram não ter usado preservativo



70% dos participantes identificaram-se como homossexuais

“Não é uma total surpresa, esta baixa proporção de homens que dizem não usar preservativo. Claro que o que nós continuamos a pensar é que talvez haja uma menor aceitabilidade dos métodos de prevenção”, disse Ana Fernandes Martins, que sublinhou que talvez se esteja “no caminho errado quanto à promoção da saúde” e da necessidade do preservativo.