As buscas no mar para encontrar os cinco jovens desaparecidos domingo no Meco foram hoje suspensas devido à agitação marítima, que levou o IPMA a colocar sob aviso laranja Portugal continental, segundo o comandante do Porto de Setúbal.

«Há um aviso laranja do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) em vigor, a agitação marítima está bastante forte, neste momento as buscas marítimas encontram-se suspensas e vão ficar hoje, e eventualmente nos próximos dias, estando sujeitas à evolução do tempo», declarou à agência Lusa Lopes da Costa, comandante do Porto de Setúbal.

De acordo com o mesmo responsável operacional, as buscas por terra foram suspensas cerca das 06:00 de hoje «devido à chuva torrencial e à falta de visibilidade», tendo sido retomadas mais tarde, «quando a chuva aliviou».

«A chuva não parou e as buscas terrestres vão manter-se ao longo da costa com viaturas pick-up, e na zona da praia do Meco mantemos as buscas que são possíveis fazer face às condições meteorológicas», explicou Lopes da Costa.

Os cinco jovens desaparecidos - quatro raparigas e um rapaz - integravam um grupo de sete alunos da Universidade Lusófona que tinha alugado casa em Alfarim para passar um fim de semana naquela zona do concelho de Sesimbra e que foram arrastados por uma onda, na praia do Meco.

Um dos jovens arrastados conseguiu sair da água por meios próprios e alertar as autoridades para a tragédia que ocorreu cerca da 1:00 da madrugada de domingo passado e que provocou um morto, encontrado na manhã do mesmo dia, e cinco desaparecidos.

Quando questionado sobre a agitação marítima e a eventualidade da mesma poder trazer os corpos à costa, Lopes da Costa adiantou que, apesar de não se saber o que se passou nas horas imediatamente a seguir ao desaparecimento dos jovens, não é de excluir essa possibilidade.

Junto à praia do Meco estão também instaladas duas tendas da Proteção Civil onde está a ser assegurado apoio psicológico aos familiares e amigos dos jovens.