A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve 16 condutores na operação «Anjo da Guarda», realizada em todo o território nacional, na segunda-feira e na terça-feira.

Três condutores foram detidos por condução sob influência do álcool, 12 devido a ausência de habilitação legal para condução e um por outros motivos que a GNR não revelou no comunicado.

Durante a operação «Anjo da Guarda», de fiscalização do uso dos cintos de segurança, sistemas de retenção para crianças (SRC) e uso indevido do telemóvel, a GNR fiscalizou 10.633 condutores.

Os militares da corporação detetaram 323 condutores «a não utilizarem ou a usarem indevidamente os sistemas de segurança (288 relativos aos cintos de segurança e 35 aos SRC)» e 168 «a fazerem uso do telemóvel durante a condução».

Na operação «Anjo da Guarda», que registou 873 ações de fiscalização, estiveram envolvidos 1.973 militares dos comandos territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito, como recorda a Lusa.