«A investigação apurou que este grupo adquiria viaturas de elevado valor que, depois, eram utilizadas na simulação de acidentes automóveis, com o propósito de, posteriormente, serem reclamadas elevadas quantias monetárias das companhias de seguros, onde tais veículos se encontravam segurados com apólices que cobriam todos os riscos, incluindo danos próprios», explica a PJ, em comunicado.