Uma equipa de técnicos portugueses participou em Espanha num simulacro, que terminou hoje, para testar as consequência e medidas de reação a adotar, em caso de contaminação radiológica, em Portugal.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) liderou a equipa de 14 técnicos de cinco ministérios portugueses que participaram, na quarta-feira e hoje, no simulacro na central nuclear de Almaraz, província de Cáceres, e que teve como objetivo testar o plano de emergência nacional espanhola para acidentes em centrais nucleares.

Segundo a ANPC, Portugal participou no exercício devido às potenciais implicações da ocorrência de um acidente desta natureza, próximo da fronteira portuguesa.

«Uma vez que Portugal não corre este tipo de risco direto, é importante participar, para perceber quais os potenciais efeitos e que medidas é preciso adotar em caso de contaminação radiológica», disse à agência Lusa o comandante adjunto de operações nacional da Proteção Civil.

Miguel Cruz adiantou que, essencialmente, no caso português, foram treinados aspetos relacionados com a coordenação entre um conjunto de entidades que têm valência neste domínico e a articulação com as autoridades espanholas.

Foi a primeira vez que Portugal participou num exercício internacional com valências técnicas de vários ministérios, nomeadamente Administração Interna, Saúde, Defesa, Ambiente e Agricultura.

No simulacro, que contou com a presença do ministro português da Administração Interna, Miguel Macedo, participaram equipas de Espanha, Bélgica, França, Itália e Marrocos, além de peritos do Mecanismo Europeu de Proteção Civil.