A Guardia Civil de Espanha pôs a circular o retrato-robô que pretende identificar um cidadão português suspeito de ter sido o autor de um furto violento a uma ourivesaria da Galiza ocorrido há mais de dois anos.

De acordo com informação divulgada nas últimas horas por aquela força policial espanhola, a identificação da imagem do suspeito resultou da colaboração com a Polícia Judiciária portuguesa, tendo em conta que todos os indícios apontavam para que se tratava de um cidadão luso.

A difusão desta imagem visa, explicou fonte da Guardia Civil de Espanha, obter informações sobre o seu paradeiro, tendo sido emitido um mandado europeu de detenção sobre o português, com outros antecedentes do género.

O crime em causa, um assalto envolvendo agressões violentas que deixaram inanimado o proprietário de uma ourivesaria, aconteceu a 10 de abril de 2012 em O Rosal, na província galega de Pontevedra, próxima da fronteira portuguesa, e ainda está por resolver.

O retrato-robô divulgado pela Guardia Civil, agora oficialmente conotado com um suspeito português, foi produzido com base na recolha de testemunhos.

As autoridades policiais admitem que o homem, embora em paradeiro desconhecido, ainda esteja a residir em Portugal.