O Ministério Público deduziu acusação contra dois arguidos pela prática dos crimes de escravidão, tráfico de pessoas, roubo, ameaças e furto, na zona de Elvas, no distrito de Portalegre.

A acusação visa um homem, de 31 anos, e uma mulher, de 32, que se dedicavam à venda ambulante.

Em comunicado publicado na página da Internet da Procuradoria da Comarca de Portalegre, refere-se que os factos ocorreram em julho de 2011 e em julho de 2013, em duas ocasiões distintas e em cada uma delas com uma vítima diferente.

Os arguidos convenceram os dois ofendidos a trabalhar para eles mediante a promessa de remuneração diária, alimentação e, num dos casos, dormida", salienta o comunicado.

De acordo com a acusação, as vítimas acabaram por não receber qualquer retribuição. Foram mantidas fechadas em casa, em "condições precárias", e "forçadas a conduzir o veículo dos arguidos, em algumas ocasiões, até propriedades alheias".

O Ministério Público acrescenta que os arguidos terão ainda vendido alguns objetos de uma das vítimas, designadamente dois computadores.

Em qualquer das ocasiões, segundo o Ministério Público, "sempre que os ofendidos tentavam fugir seriam agredidos e ameaçados de morte”.