A Câmara de Sintra vai manter a funcionar os refeitórios das escolas geridas pelo município, no período das férias do verão, incluindo para alunos do secundário e familiares diretos, anunciou hoje a autarquia.

Os refeitórios das escolas do ensino básico e jardins-de-infância no concelho de Sintra vão manter-se abertos após o fim das aulas e até ao início do próximo ano letivo.

A iniciativa destina-se a proporcionar refeições a alunos carenciados e elementos do agregado familiar, abrangendo os estudantes do secundário e familiares diretos.

«À medida que o programa vai sendo conhecido vão aumentando as adesões», afirmou à agência Lusa o vice-presidente da autarquia, Rui Pereira (PS). «Nas férias da Páscoa fizemos quase 26 mil refeições. Aumentámos 58% face às refeições servidas no Natal», adiantou.

As refeições vão ser disponibilizadas mediante marcação e pagamento com uma antecedência até oito dias nos estabelecimentos de ensino. «O programa vai funcionar em todos os refeitórios, mas em agosto, devido a uma menor procura, vão abrir de acordo com a procura», explicou Rui Pereira.

Os preços praticados serão os mesmos do ano letivo, em função dos rendimentos do agregado familiar. A refeição dos alunos abrangidos pelo escalão A são gratuitas, os do escalão B pagam 0,73 euros e os restantes estudantes pagam 1,46 euros.

As refeições servidas aos familiares diretos (irmãos, pais e avós) que acompanharem os alunos custarão 1,5 euros, informou a autarquia, acrescentando que a refeição completa inclui sopa, bebida, pão, prato principal e fruta.

A nota camarária adiantou que «está igualmente garantido o fornecimento de refeições às crianças e jovens que participam em programas de ocupação de tempos livres, promovidos por entidades públicas ou privadas».

Rui Pereira estima que, durante os quase três meses do programa, sejam servidas «entre 75.000 e 100.000 refeições», mas notou que «uma parte da despesa está assegurada por quem paga e o resto deverá estar dentro dos contratos estabelecidos» com os refeitórios.