Uma elevada percentagem de alunos do quarto ano do 1.º ciclo do Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo apresenta níveis elevados de ansiedade, revela um estudo realizado pela equipa do Contrato Local de Desenvolvimento Social (CLDS+).

Joana Correia, psicóloga do projeto, disse à agência Lusa que o estudo envolveu, de forma aleatória, 400 crianças dos quatro aos 16 anos, de todas as escolas e pré-escolas de todo o concelho, entre outubro e maio.

"Efetuámos um questionário, numa escala diferenciada por idades, que avaliou a qualidade de vida das crianças em seis dimensões: bem-estar físico, emocional, autoestima, família, amigos e escola", explicou.


Segundo a técnica, o estudo "Um Olhar sobre a Criança e o Jovem "concluiu que os alunos do quarto ano do 1.º ciclo apresentam uma "elevada" taxa de ansiedade, enquanto nos graus de ensino superior se registou "desinteresse escolar e despreocupação com o futuro".

"Uma grande percentagem dos inquiridos do quarto ano do 1.º ciclo respondeu que, por causa das exigências escolares que lhes são impostas, não conseguem dormir bem e não lhes apetece comer", acrescentou Joana Correia.


A psicóloga do CLDS+ de Miranda do Corvo "Trilhos do Futuro" adiantou que, no próximo projeto, com a designação de CLDS 3G, vão ser desenvolvidas atividades para responder "às necessidades refletidas no estudo".

O estudo foi realizado em parceria com o Observatório da Cidadania e Intervenção Social, da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, e em colaboração com CETIS - Centro de Estudos Trabalho e Intervenção Social da Fundação ADFP e Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo, sob supervisão científica de Clara Cruz Santos.