O ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, quer mais estudantes do Luxemburgo a fazer Erasmus nas universidades portuguesas, disse esta segunda-feira, à Lusa, no início de uma visita de dois dias ao grão-ducado.

«Tive já oportunidade de falar com o ministro luxemburguês do interesse que temos em acolher mais estudantes de Erasmus, e mesmo estudantes que possam passar períodos mais prolongados em Portugal», disse o ministro português, à margem de uma visita ao Núcleo de Acolhimento Escolar para Alunos Recém-chegados (CASNA, na sigla em francês), na capital luxemburguesa.

«O ministro [luxemburguês] e eu reconhecemos que a diversidade cultural, geográfica e linguística existente entre os nossos países é interessante para os nossos jovens», prosseguiu Nuno Crato. «É mais estimulante fazer um semestre ou alguns anos numa universidade de um país bastante diferente do que num país muito semelhante. Desse ponto de vista, Portugal oferece condições muito boas para acolher estudantes do Luxemburgo».

O objectivo da visita do ministro português, a convite do ministro da Educação do Luxemburgo, Claude Meisch, é «reforçar a cooperação universitária e científica entre os dois países», explicou Nuno Crato.

«O Luxemburgo tem uma universidade muito recente, que está a crescer, e que está interessada em ter cooperação com outras universidades. Nós temos um sistema universitário e de investigação com muitos pólos de excelência, e gostaríamos de reforçar a nossa cooperação com o Luxemburgo, particularmente num momento em que a universidade aqui está em desenvolvimento», afirmou o ministro português.

Na comitiva de Nuno Crato, que vai estar no Luxemburgo até terça-feira, viajam o reitor da Universidade Nova de Lisboa, António Rendas, o reitor da Universidade de Aveiro, Manuel Assunção, a reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas, e o vice-presidente do Instituto Politécnico do Porto, António Marques, além de elementos da Fundação para a Ciência e a Tecnologia e do Instituto Camões.

Esta segunda-feira, o ministro visitou uma escola primária frequentada por alguns alunos portugueses recém-chegados ao grão-ducado, na companhia do seu homólogo luxemburguês, e ficou «impressionado» com a fluência das crianças em francês, uma das três línguas oficiais do Luxemburgo.

«Foi muito recompensador ver todos aqueles jovens, alguns recém-chegados ao país, exprimirem-se já com muito à vontade, com muita segurança, e saberem organizar bem os seus pensamentos, e sobretudo fazê-lo numa língua que não é a língua do seu país de origem», elogiou o ministro.

O Luxemburgo recebeu 603 novos alunos portugueses em 2012/2013, segundo os dados mais recentes do Ministério da Educação do Grão-Ducado.

Na terça-feira, Nuno Crato vai visitar a Universidade do Luxemburgo e o Centro de Investigação Público Henri Tudor, estando ainda agendadas reuniões de trabalho com o secretário de Estado do Ensino Superior e da Investigação do Luxemburgo e com os responsáveis das universidades e politécnicos portugueses.

À tarde, os dois ministros voltam a reunir-se para discutir o reforço da cooperação nas áreas da educação, do ensino superior e da ciência.