A Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) lamenta a abertura de novos cursos superiores de Psicologia, numa altura em que aumenta o número de recém-formados desempregados.

Em comunicado enviado nesta quarta-feira à agência Lusa, com data de terça-feira, a direção da OPP critica a abertura, no próximo ano letivo, de dois novos cursos de Psicologia, quando o desemprego aumentou 33 % entre os psicólogos recém-formados, em abril deste ano face a igual período de 2012.

Em abril, segundo a OPP, estavam inscritos nos centros de emprego mais de quatro mil psicólogos recém-formados.

«Apesar deste número ser extremamente elevado, não traduz a realidade da empregabilidade dos psicólogos, visto não contemplar boa parte dos desempregados com formação superior em Psicologia e aqueles que já abandonaram a área ou que se encontram em situação de subemprego», realça ainda a nota.

A OPP lembra que o aumento de vagas e cursos superiores de Psicologia surge mesmo depois de ter expressado «a sua preocupação» perante o aumento de desempregados com formação superior em Psicologia, em reunião em abril com o então secretário de Estado do Ensino Superior João Queiró.

Para a Ordem dos Psicólogos Portugueses «será difícil compreender a planificação do ensino superior» em Portugal que, no ano letivo 2012/2013, permitiu a abertura de 2.478 vagas em 29 cursos de Psicologia, enquanto para Medicina, «curso sem desemprego registado», apenas autorizou a abertura de 1.441 vagas em sete cursos.