No âmbito das suspeitas de favorecimento de colégios privados, financiados pelo Estado, o movimento de «Defesa da Escola Pública do Oeste» reuniu-se com o diretor geral de estabelecimentos escolares. O movimento quis saber porque é que o Governo continua a financiar turmas no privado, quando os alunos têm espaço na escola pública, mas saiu do encontro sem respostas.

Viajaram até Lisboa para serem recebidos pelo secretário de Estado, mas no lugar de João Casanova foi José Alberto Duarte quem presidiu à reunião, o homem que definiu a rede escolar em todo o país. Um polémico dossier sem fim à vista, com casos menos claros nas Caldas da Rainha

Este foi o ponto de partida para uma conversa de três horas sobre aquilo que consideram ser um ataque à escola pública e o mau uso de dinheiros públicos.

Em causa a Rafael Bordalo Pinheiro, uma escola modelo paredes meias com dois colégios privados, financiados pelo Estado.