Os mais de 9,5 milhões de eleitores que no domingo podem votar nas eleições autárquicas deverão enfrentar céu geralmente muito nublado, períodos de chuva e, no Continente, uma pequena subida da temperatura.

O Instituto do Mar e da Atmosfera prevê para domingo, no Continente, céu em geral muito nublado, períodos de chuva ou de aguaceiros, vento fraco a moderado (10 a 30 km/h) de sudoeste, soprando moderado a forte (30 a 45 km/h) nas terras altas e uma pequena subida da temperatura máxima.

Em Lisboa as temperaturas devem variar entre os 18 e os 23 graus, no Porto entre os 16 e os 21 graus e em Faro entre os 19 e os 23 graus.

No arquipélago da Madeira, prevê-se para domingo períodos de céu muito nublado com períodos de chuva ou de aguaceiros, com vento fraco a moderado (10 a 25 km) de sudoeste, sendo moderado (25 a 35 km/h) nas terras altas. No Funchal os termómetros devem variar entre os 23 e os 28 graus e no Porto Santo entre os 20 e os 27.

Para domingo, os grupos Ocidental e Central do arquipélago dos Açores devem registar períodos de céu muito nublado com abertas e aguaceiros, com vento de oeste moderado a fresco, com rajadas.

No grupo Oriental prevê-se céu muito nublado, com abertas a partir da manhã, e períodos de chuva, passando a aguaceiros.

O vento soprará de sudoeste fresco (30/40 km/h) com rajadas, rodando para oeste e tornando-se moderado.

O mar, no grupo Ocidental, estará cavado a grosso com ondas de três metros, aumentando para cinco metros.

No grupo Central, o mar estará cavado com ondas de oeste de dois metros, aumentando para quatro metros, e, no Oriental, cavado com ondas de dois metros.

Em Angra do Heroísmo, as temperaturas devem variar entre os 21 e os 25 graus, na Horta entre os 20 e os 25, em Ponta Delgada entre os 19 e os 24 e em Santa Cruz entre os 20 e os 24 graus.

No domingo, os eleitores são chamados a votar, entre as 08:00 e as 19:00, para a câmara municipal (boletim de voto verde claro), a assembleia municipal (boletim de voto amarelo) e a assembleia de freguesia (boletim de voto branco).

Os eleitores devem eleger os dirigentes de 3.399 autarquias, numas eleições autárquicas marcadas pela redução de freguesias e pela alteração dos rostos dirigentes em centenas de localidades devido à lei da limitação dos mandatos.