O primeiro-ministro afirmou esta quarta-feira que dentro de ano e meio a rede de pré-escolar portuguesa terá capacidade para acolher todas as crianças com cinco anos, num discurso em que elogiou a acção dos governos de Guterres, noticia a Lusa.

José Sócrates falava na Fundação Cidade de Lisboa, depois de terem sido assinados 172 contratos para a construção de 299 salas de aula destinadas ao ensino pré-escolar, que abrangerão 13 mil crianças - investimento avaliado em 36 milhões de euros.

Na cerimónia, estiveram presentes os ministros da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, do Trabalho e da Solidariedade, Vieira da Silva, assim como vários presidentes de câmaras, entre os quais António Costa (Lisboa), Isaltino Morais (Oeiras) e Fernando Seara (Sintra).

Na sua intervenção, Sócrates procurou sublinhar o seu objectivo de garantir a prazo a obrigatoriedade de frequência do pré-escolar aos cinco anos.

«Portugal tem já uma cobertura acima dos 90 por cento para os cinco anos de idade, mas nos quatro e nos três anos esses indicadores estão ainda um pouco em baixo - e o Estado tem a obrigação de os melhorar», começou por apontar o líder do Executivo.

Lisboa e Porto são o maior problema

Justificando a razão de o actual programa do seu Governo para o pré-escolar se concentrar nos principais meios urbanos do país, Sócrates defendeu que o principal problema de cobertura neste grau de ensino regista-se nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto.

«Queremos fazer num ano e meio as salas que são necessárias. Queremos progredir dez por cento na área metropolitana de Lisboa e oito por cento no Porto», declarou o primeiro-ministro.

De acordo com o primeiro-ministro, estes dados significam que haverá uma melhoria da cobertura do pré-escolar, entre os três e os cinco anos, em quatro por cento, de 78 para 82 por cento.

Quando Portugal atingir este patamar, Sócrates defendeu que haverá então «uma cobertura universal ao nível dos cinco anos de idade».

Governo gasta anualmente 600 milhões de euros

O Governo gasta anualmente 600 milhões de euros com a rede pré-escolar, anunciou esta quarta-feira a ministra da Educação, sublinhando o objectivo da criação de condições para que todas as crianças com cinco anos frequentem este grau de ensino.

«É objectivo deste Governo continuar a criar condições para que todos as crianças com cinco anos, de todo o país e independentemente das condições sócio-económicas, possam frequentar o pré-escolar», afirmou Maria de Lurdes Rodrigues.

Segundo a governante, os contratos hoje assinados representam um investimento de 36 milhões de euros, metade com fundos do Ministério da Educação e do Ministério do Trabalho e Solidariedade Social, estando as despesas anuais de funcionamento das 299 salas orçadas em 32 milhões.

No entanto, acrescentou, os dois ministérios «investem anualmente 600 milhões de euros na rede pré-escolar».