Portugal vai enviar 200 professores para Angola este mês para promover o ensino do Português e reforço do ensino secundário, projecto financiado em 5,4 milhões de euros pelo Fundo da Língua Portuguesa, anunciou o Ministério dos Negócios Estrangeiros, refere a Lusa.

A aprovação do Projecto «Saber Mais», que define o enquadramento do envio dos docentes portugueses, saiu da primeira reunião do Fundo, que decorreu esta manhã no MNE.

Além da «melhoria das competências técnicas e da capacitação dos professores do ensino secundário na utilização dos conteúdos programáticos vigentes», o projecto visa «a instalação de centros de recursos para apoio pedagógico nas províncias-alvo, a formação de equipas de coordenação pedagógica local e a criação de redes de formadores nacionais de referência no ensino angolano».

Estão abrangidas as províncias do Cuanza Sul, Benguela, Namibe, Moxico e Cunene.

O custo total do projecto está orçado em 10,15 milhões de euros, contribuindo o Fundo com 5,4 milhões de euros.

Deste total, 1,7 milhões serão desembolsados este ano e os restantes 3,7 milhões em 2010.

O envio de professores portugueses para Angola foi anunciado em Julho do ano passado, durante uma visita de trabalho a Luanda do primeiro-ministro português, José Sócrates.

O Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, inicia na terça-feira uma visita de dois dias a Portugal.

De acordo com o MNE, a coordenação e execução do projecto «Saber Mais» está a cargo do Ministério da Educação de Angola e do Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD).

Os destinatários são professores e candidatos a professores do Ensino Secundário angolano e a população estudantil.

Com uma dotação de 30 milhões de euros o Fundo visa apoiar ao ensino da língua portuguesa e a formação de tradutores e intérpretes para as organizações internacionais que tenham o português como idioma oficial de trabalho.

Nos próximos dois anos, outros países de língua oficial portuguesa deverão ser alvo de medidas semelhantes, prevendo-se o envio de um total de 600 professores.

A segunda reunião da Comissão Interministerial do Fundo da Língua está prevista para o próximo mês de Abril.