A Federação Nacional de Professores (FENPROF) propôs esta terça-feira um debate público sobre o modelo de ensino e docência no 1.º Ciclo, no âmbito de uma reunião no Ministério da Educação para criar um grupo de recrutamento de Inglês.

«O Ministério da Educação propõe a criação de um grupo específico para o ensino de Inglês no 1.º Ciclo, defendendo que tal área não deve ser atribuída ao professor titular de turma», afirma a federação em comunicado, sugerindo que a medida abre campo à criação de outros grupos específicos.

A FENPROF tem questionado o modelo de monodocência no 1.º Ciclo, considerando que está ultrapassado e defendendo a pluridocência nos 3.º e 4.º anos de escolaridade.

No âmbito da reunião realizada esta terça-feira de manhã no Ministério da Educação, com vista à introdução da disciplina de Inglês no 3.º ano, em 2015-2016, a estrutura sindical defendeu que esta é uma alteração substancial que «não se compadece com decisões precipitadas e casuísticas».

Neste sentido, propôs a abertura calendarizada de um debate público, envolvendo a comunidade científica e educativa, integrando os contributos de universidades, escolas, pais, professores e sindicatos.

De acordo com a FENPROF, o ministério não forneceu informações sobre as medidas transitórias enquanto não houver professores do 1.º Ciclo preparados para o ensino precoce da língua, no âmbito da legislação que está a ser preparada.

O secretário-geral da FNE, João Dias da Silva, disse à agência Lusa que ficou igualmente sem resposta a forma como vão ser determinadas as vagas de quadro, indicando que se realiza nova reunião na segunda-feira, pelo que os sindicatos dispõem ainda de alguns dias para apresentar contra-propostas.

A FNE entende que o documento final deve obedecer ao parecer aprovado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE).

Está contemplado que as crianças passem a ter duas horas de Inglês por semana a partir do 3.º ano e que os professores tenham formação específica de Inglês e prática pedagógica supervisionada de lecionação no 1.º Ciclo, o que merece a concordância da FNE.

«O diploma prevê um regime de transição para que as pessoas que ainda não tenham estas qualificações as possam obter», afirmou.

A criação do grupo de recrutamento de professores de Inglês para o 1.º Ciclo implica alterações na formação académica dos docentes, nomeadamente ao nível dos mestrados.

A questão começou a ser discutida hoje entre os sindicatos de professores e representantes do Ministério da Educação.