“Já no passado a Fenprof contestou os dados utilizados nestas comparações internacionais, pois são incorretos e fazem passar uma ideia falsa sobre a situação remuneratória dos professores portugueses. Porém, interessará mais aos nossos governantes omitirem a situação real para, desta forma, criarem condições sociais favoráveis ao que, há muito, pretendem: reduzir os salários dos professores e também acabar com a carreira única”, defende a organização sindical, em comunicado divulgado hoje.