A Associação de Professores de Português (APP) considerou que não é preocupante o aumento da taxa de reprovação em um ponto percentual nos alunos internos que fizeram exame à disciplina na primeira fase.

“Não nos surpreende, nem preocupa a descida. Ainda estamos na positiva, mas é claro que temos de melhorar sempre estas situações”, disse à agência Lusa a presidente da APP, Edviges Antunes Ferreira, referindo-se à média da prova, que foi de 10,8 valores este ano, contra 11 no ano passado.

A professora admite que a descida pode estar relacionada com o conjunto de questões de escolha múltipla do II Grupo: “Não eram tão habituais”.

Sublinhou, no entanto, que só uma análise mais pormenorizada poderá ajudar a perceber melhor os resultados.

“Se no próximo ano se mantiver esta descida, então temos de pensar se alguma coisa está errada”, declarou.

As taxas de reprovação aumentaram a Português e Matemática A (ciências), de acordo com os resultados dos exames do ensino secundário, hoje divulgados pelo Ministério da Educação, relativos à primeira fase.

As reprovações a Matemática A atingiram os 15%, contra 11% no ano passado, e a Português situaram-se em 7% (6% em 2015) para os alunos internos.

As médias continuam positivas, mas em valores inferiores ao ano anterior. No exame de Português, a média passou de 11 valores no ano passado para 10,8 este ano, mantendo-se a Classificação Interna Final (CIF, nota atribuída pela escola) em 13,4.

No caso de Matemática A, a média do exame baixou de 12 para 11,2. A CIF, pelo contrário, subiu de 13,6 para 13,8 valores.