O ministro da Educação, Nuno Crato, anunciou hoje que os professores contratados para o ensino público há alguns anos vão passar para os quadros do Ministério da Educação se forem chamados no início do ano letivo de 2015/16.

Direção de escola básica preocupada com coberturas com amianto

Nuno Crato, interpelado hoje na Comissão Parlamentar de Educação, Ciência e Cultura, disse que a norma «semiautomática» de vinculação extraordinária está em negociações com os sindicatos dos professores e que o desejo do Governo é que esteja implementada no próximo ano, antes do início do ano letivo.

O governante disse que a medida não é feita «há décadas» e salientou perante os deputados que «não faz sentido que as necessidades do médio e longo prazo do ensino público sejam realizadas com a contratação repetida de professores com contratos a termo certo».

Na audiência na comissão parlamentar, com a duração de pouco mais de três horas, o ministro assinalou que a Comissão Europeia já tinha assinalado o «tratamento discriminatório entre porfessores dos quadros e contratados».