O período para realização de exames de Português e Matemática do 4.º e 6.º ano inicia-se esta segunda-feira, com um número residual de escolas a aplicá-los depois de o Ministério da Educação os ter tornado opcionais este ano.

Segundo dados da tutela, menos de 8% dos diretores decidiram realizar as provas do 4.º e 6.º ano, em conjunto com as provas de aferição dos 2.º, 5.º e 8.º anos de escolaridade, que também são opcionais este ano, e que apenas se tornam obrigatórias em 2016-2017.

Dois por cento dos diretores optaram por realizar apenas as provas do 4.º e do 6.º ano nas suas escolas. As escolas que optaram por manter a realização dos exames de 4.º e 6.º ano têm até 3 de junho para os fazer.

O ministério de Tiago Brandão Rodrigues anunciou, em janeiro, uma alteração ao modelo de avaliação do ensino básico, que eliminou os exames de Português e Matemática, no 4.º e 6.º ano, com um peso de 30% para a nota final dos alunos, e introduziu provas de aferição no 2.º, 5.º e 8.º anos de escolaridade.

O Ministério da Educação veio depois permitir que quer a aplicação das provas de aferição, como a eliminação dos exames, apresentadas como obrigatórias para o corrente ano letivo, fossem afinal opcionais este ano, criando um período de transição até à obrigatoriedade e universalidade das provas no próximo ano letivo.