Cerca de 2.000 dos 2.500 quilos de cocaína apreendidos pelas polícias portuguesa e espanhola na operação “Muro de Contenção”, sem detidos portugueses, estavam num armazém na zona da Grande Lisboa, anunciou hoje a Polícia Judiciária (PJ).

Esta droga que chegou a Portugal estava num armazém na zona da Grande Lisboa”, disse hoje o diretor da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da PJ, Artur Vaz, em conferência de imprensa, escusando-se a indicar que tipo de armazém se tratava.

A Polícia Judiciária e o Corpo Nacional de Polícia do Reino de Espanha apreenderam, nos dois países, cerca de 2.500 quilos de cocaína e detiveram 10 pessoas de várias nacionalidades nas últimas duas semanas.

Segundo Artur Vaz, os dez detidos, nove homens e uma mulher, são de nacionalidade polaca, espanhola e colombiana e estão todos detidos preventivamente em Espanha.

A droga chegou de facto a Portugal e não seria para ficar aqui, seria para seguir para outros países, nomeadamente para Espanha e depois eventualmente para outros países europeus”, sendo o objetivo da operação “evitar que quantidades significativas de droga, neste caso cocaína, entrem no espaço europeu”, disse.

O Comissário Chefe da Polícia Nacional de Espanha, António Duarte, também presente na conferência de imprensa que decorreu hoje na sede da PJ, em Lisboa, acrescentou que a operação pretende “evitar que essa droga que as organizações mafiosas colombianas tentam introduzir na Europa seja vendida”.

Os suspeitos “foram detidos quando transportavam a droga para Espanha”, disse António Duarte, adiantando que esta rede criminosa operava especialmente na zona de Badajoz.

Sobre o valor da droga apreendida, Artur Vaz disse que “tendo em conta que um quilograma de cocaína ronda os 45 a 50 mil euros na distribuição direta”, as duas toneladas e meia representariam cerca de 125 milhões de euros se vendidas na rua.

Em comunicado hoje divulgado pela PJ, é referido que ambas as polícias “desarticularam organização internacional de tráfico” de droga e, segundo a investigação, “os detidos integravam uma vasta organização criminosa, dedicada ao tráfico de grandes quantidades de cocaína, a atuar em diversos países europeus e da América Latina”, por via marítima.

Além da droga foram também apreendidas diversas viaturas, dinheiro e documentação variada.

De acordo com o comunicado, a operação “muro de contenção”, que decorreu entre finais de fevereiro e março “insere-se no esforço conjunto e concertado das autoridades portuguesas, espanholas e de outros países com vista à identificação e desmantelamento de estruturas criminosas responsáveis pela introdução de grandes quantidades de estupefaciente no espaço europeu”.