Para perder peso é mais eficaz cortar nos hidratos de carbono ou evitar as gorduras?
 
De acordo com um estudo realizado nos Estados Unidos, cortar na gordura pode ter mais resultados. E também na opinião do médico de Medicina Geral e Familiar Pedro Lobo do Vale, em entrevista nesta segunda-feira na TVI24.
 
No entanto, segundo o clínico, o mais importante é comer menos e bem.
 

“Devemos cortar em tudo. É mais fácil perder peso com uma alimentação equilibrada se cortarmos um terço do que comemos diariamente."


"De facto, se perguntar à maior parte das pessoas o que é que engorda mais, se é uma colher de açúcar ou de azeite, a maior parte vão dizer que é o açúcar, mas é precisamente o contrário, porque a gordura, neste caso o azeite, tem o dobro das calorias do açúcar, que é um hidrato de carbono puro. Portanto, as pessoas pensam que emagrecem se cortarem nos hidratos e não é verdade. A gordura engorda mais porque tem mais calorias, mas o mais importante para emagrecer é ter uma alimentação equilibrada com os principais nutrientes, com hidratos de carbono, com gorduras, com proteínas, com água, mas comendo menos e fazendo mais exercício físico. Só cortar nos hidratos de carbono não é, de certeza, uma boa dieta”, defendeu.
 
Pedro Lobo do Vale enalteceu, aliás, a importância de ingerir hidratos de carbono, desde que sejam de boa qualidade.
 

“Os hidratos de carbono são muito importantes porque nos dão energia. Mas têm de ser de boa qualidade."


"Vou dar alguns exemplos: comer fruta ou açúcar, embora haja açucar na fruta? É melhor comer fruta; o mel é melhor que o açúcar refinado, uns flocos integrais são melhores que uns flocos refinados. Ou seja, o problema dos hidratos de carbono depende da qualidade. É importante ingerir hidratos de carbono pouco refinados porque em relação à diabetes, à assimilação do açúcar, são de absorção bastante mais lenta e saciam muito mais. Se comermos simplesmente açúcar é diferente de estar a comer batatas ou massa, que enchem muito mais mas também são hidratos de carbono", sustentou.
 

“Portanto, não cortar hidratos de carbono, cortar sim naqueles que são maus, que são de absorção rápida, como o açúcar”.

 
Pedro Lobo do Vale lembrou que “há hidratos carbono em imensa coisa, nomeadamente no leite, nas leguminosas, seja no feijão, grão ou na soja, nos cereais…". “Por exemplo, o pão branco é muito pior que um pão de mistura ou um pão integral. Há que trocar os hidratos de carbono de má qualidade pelos de boa qualidade, primeiro porque têm mais nutrientes, depois porque saciam mais e depois em relação às doenças metabólicas são muito melhores”, reforçou.
 
O que devemos então privilegiar na alimentação para perder ou manter o peso de forma saudável?

“Sempre vegetais, fibras na alimentação e as coisas menos refinadas. Tudo o que seja muito industrializado, como bolachas, bolos, acepipes, enlatados, tudo o que tem muitos conservantes, é francamente pior que a comida natural. De facto, a fruta, os legumes, as leguminosas, os cereais integrais, o peixe, isso é que é fundamental. E também sermos um pouco mais vegetarianos. Não é preciso sermos totalmente vegetarianos mas os alimentos que ingerimos de origem animal são para a parte cardiovascular piores do que os de origem vegetal”, argumentou o médico.