Os reclusos em prisão preventiva representam 17 por cento do número total de presos nas prisões portuguesas, indicam dados da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP).

Segundo a DGRSP, o número de reclusos nas prisões portuguesas, a 01 de dezembro, era de 13.989, dos quais 2.392 estavam em prisão preventiva.

Comparando com os dados de 15 de novembro, de estatísticas disponíveis na página da internet da DGRSP, aumentaram em sete os reclusos em preventiva a 01 de dezembro.

Entre os reclusos em prisão preventiva estão o ex-primeiro-ministro José Sócrates, que está no Estabelecimento Prisional (EP) de Évora desde 24 de novembro, e o ex-presidente do Instituto dos Registos e Notariado (IRN), António Figueiredo, no EP anexo às instalações da PJ, em Lisboa, desde 18 de novembro.

Dos 2.392 detidos em prisão preventiva, 1.566 estão nas prisões de grau elevado e 826 nas de grau médio.

Os dados estatísticos da DGRSP indicam também que a sobrelotação nas cadeias portuguesas é de 11 por cento, ou seja, ultrapassa em 1.398 os lugares existentes.

As estatísticas provisórias da DGRSP referem ainda que 17,7 por cento dos reclusos são estrangeiros e 94 por cento são homens.